BLOG – Como as escolas se adaptaram para manter sua eficiência na pandemia?

BLOG – Como as escolas se adaptaram para manter sua eficiência na pandemia?
15 de fevereiro de 2022 Escola Cristã Jundiaí

Devido às medidas de quarentena durante o surto de COVID-19 , as escolas do Brasil e do mundo todo tiveram que mudar para a educação online da noite para o dia. Fato desafiador, mas para a sorte de professores e alunos, o desenvolvimento da tecnologia e da Internet favoreceu e revolucionou a educação.

No início, em meados de abril de 2020, o maior desafio de aprender online foi a inexistência de uma plataformaespecífica. No entanto, com o passar do tempo, o grande desafio passou a ser a motivação para a aprendizagem.

Ao estudar online e em casa, os alunos geralmente ficam sem supervisão quando as aulas não são transmitidas ao vivo. Na verdade, para os estudantes mais jovens, o ensino a distância exige uma série de habilidades que eles ainda não desenvolveram. Inclusive, até os adultos lutam para se concentrar, evitar distrações e acompanhar horários quando estão trabalhando de casa.

Na Escola Cristã Jundiaí, por exemplo, os professores desenvolveram conteúdos criativos e envolventes que exigem a participação ativa dos alunos, porém, ciente que de, para alguns estudantes, a abordagem tenha que ser diferenciada. Para algumas crianças, as aulas online causaram retrocesso ligado ao isolamento, dificuldades com a família e ansiedade relacionada à pandemia, dificultando sua conexão interpessoal.

Diante disso, a equipe pedagógica investiu no treinamento do corpo docente e as tecnologias que foram surgindo ajudaram a minimizar essa situação e a melhorar a educação básica online. A médio e curto prazo, essas medidas poderão ajudar a diminuir a distância entre professores e consolidarão a educação online no futuro.

Embora os tempos tenham sido difíceis para estudantes e instituições de ensino em toda parte, a transição dos métodos de ensino foi bem-sucedida e até se popularizou após a contenção do vírus. Tanto que, hoje em dia, cada vez mais entidades optam por usar plataformas de ensino remoto como ferramentas complementares para ajudar os alunos a estudar.